Brinquedos sem pilhas ou o boicote
ao camião da Patrulha Pata.

O camião da Patrulha Pata precisa de pilhas e precisa dos sonhos de quase todas as crianças de quatro anos.

O camião da Patrulha Pata precisa de pilhas e precisa de pais que estejam dispostos a pagar 120 euros, por um brilho no olhar e um sorriso no rosto. Ainda que fugazes.

O camião da Patrulha Pata está esgotado em todas as superfícies comerciais do país e isto, na minha opinião, diz muito sobre aquilo que andamos a fazer.

A mim, diz-me que estamos com as prioridades trocadas. Diz-me que andamos a refletir pouco e diz-me ainda que cedemos a um apelo que é, no mínimo, desonesto. Porque se serve dos desejos deles para crescer. Porque se serve do nosso amor para vender.

Eu faço greve aos brinquedos com pilhas e faço greve aos brinquedos que custam um mês inteiro de comida na mesa. Pelas mesmíssimas razões. Pela ideia de consumo rápido e descartável que alimentam. Pela falta de autonomia e criatividade que promovem.

Se eu podia comprar o camião da Patrulha Pata? Podia. Mas não estaria a ser honesta com os princípios que defendo e com os sonhos que gostava que um dia, o Manel quisesse alcançar.

Os sonhos que apenas precisam de gente dentro e de amor no coração, para acontecer.

 

P.S – A foto que ilustra este texto é da autoria da Lília Reis, que tão carinhosamente a cedeu, para que a Lua ficasse mais bonita. Obrigada Lília.