Carta de uma adolescente aos adultos.

Queridos Adultos,

Daqui escreve-vos uma adolescente. Primeiro que tudo, queria pedir que acalmassem essas hormonas. Isto porque quando se fala dos vossos filhos adolescentes, parecem as nossas.

Nós não somos um problema, não somos todos deprimidos. Temos opiniões, sabemos falar, não temos uma linguagem diferente da vossa. Queria pedir-vos também que larguem esse preconceito de que a palavra “adolescente” tem a mesma origem que a palavra “problema”. Larguem os livros que compraram sobre como lidar com um adolescente, nós não precisamos todos da mesma coisa, pelo contrário, tentem conhecer-nos, perceber o que nos faz felizes, o que nos faz tristes, o que nos magoa, as feridas que ainda temos abertas.

Motivem-nos! Nós precisamos de ser motivados, cada um de nós precisa de acreditar que tem o poder de mudar. Somos a próxima geração, não queremos ouvir “este país está a descambar”, “é tudo uma vergonha… que horror!”. Motivem-nos! É em nós que têm de pôr a pressão toda, não desistam de nós. Abram as nossas mentes, não nos deixem pensar tudo quadrado!

Quanto ao ensino… Bem, quanto ao ensino, tentem perceber que não é fácil estar 90 minutos a olhar para um professor a debitar matéria. Nesses 90 minutos há sempre alguma coisa mais engraçada para prestar atenção do que estar a ouvir o professor, por isso, tentem ensinar de outra maneira, não nos obriguem a decorar, ajudem-nos a perceber.

Deixem-nos cair as vezes que forem necessárias, nós precisamos disso mesmo, precisamos de cair. São as quedas que nos vão mostrando como somos fortes e como somos capazes de ultrapassar os obstáculos da vida. Não nos aparem os golpes, temos que aprender sozinhos.

Não nos tentem ensinar o que demoraram 40 anos a aprender. Vocês aprenderam vivendo e nós também vamos ter que viver para aprender. Deixem-nos viver, deixem-nos demorar o tempo que for preciso a aprender… Enquanto vocês vivem tudo a 500, nós vivemos tudo a 5000 e é normal fazermos de uma coisa pequena um grande drama, não se zanguem connosco por isso. Mostrem-nos que não é nenhum drama, mostrem-nos que existe solução e que há coisas bem piores.

Deixem-nos viver intensamente.

Podem ser os melhores anos das nossas vidas, é “SÓ” ajudarem-nos a viver.

Obrigada,

Uma Adolescente

Nota: Conheci a Matilde na Capazes, lugar onde coisas boas acontecem. E assim, fazendo justiça à grandeza das palavras que escreve, a Matilde partilhou o seu texto para que ele pudesse brilhar na Lua também. Obrigada Matilde, pela honra da tua voz e pelas coisas bonitas que trazes dentro. Não nos esqueçamos nunca. Viver intensamente será sempre o caminho mais feliz.

4 thoughts on “Carta de uma adolescente aos adultos.

  1. Adorei, Rita! Acredito mesmo que a adolescência pode ser um tempo muito feliz, de descobertas, de alegrias, de sentimentos mais fortes que o próprio coração pode aguentar (pensamos….). E é mesmo isso….só temos que os ouvir, que os perceber e mostrar-lhes que são eles mesmo que podem mudar o mundo.É de pequenas mudanças que se fazem as grandes mudanças.
    Posso partilhar?

    1. Olá Célia. Somos duas a achar que é preciso olhar para a adolescência de uma forma positiva, descomplicada e única, por todas as transformações extraordinárias que acontecem nesta fase de vida. Ouvir os jovens, compreendê-los e aceitá-los na forma como vivem o momento, é meio caminho andado para estarmos efetivamente mais perto e contribuirmos para que cresçam de forma feliz. E a Matilde soube tão bem escolher as palavras para nos ensinar isto… 🙂 Quanto à partilha, claro que sim, acredito que é através dela que podemos crescer juntos e aprender. 🙂 beijinhos

      1. Obrigada Rita. Tenho uma filha com 11 anos e outra com 8. Já começo a sentir alguns “sintomas” de adolescência, mas como tento explicar essas emoções à mais velha, até a mais nova vai percebendo 🙂 usamos as personagens do filme “Inside out”, para que elas percebam que às vezes, na adolescência, há um grande turbilhão de emoções, as hormonas estão à solta 🙂 mas isso não tem que ser mau, E se elas não ouvirem repetidamente que a adolescência é uma fase “horrível” acredito que tudo será mais fácil. Espero….e vou fazer tudo para que seja uma fase muito feliz! Um bjinho

        1. É mesmo isso Célia, transmitir-lhes uma ideia positiva do crescimento e estar por perto, para que de uma forma próxima e honesta e feita das coisas do dia a dia, se possam ir falando das transformações e das emoções que no fundo vão ser tão importantes para a pessoa que estão a construir. Obrigada pela partilha de quem já vive esta fase com os filhos. A perspectiva feliz com que a encara, já é meio caminho andado para que cresçam felizes também 🙂 beijinhos grandes

Responder a Célia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.