Janeiro

Não nasci em tempo quente.
Acho mesmo que este facto foi um erro crasso que devia ter sido cuidadosamente acautelado na noite de amor em que fui gerada. Restou-me, ao longo dos anos, a árdua tarefa de tornar janeiro um mês mais interessante, poupando-o à constatação evidente de que era no meio do calor que aconteciam as melhores coisas da vida.
Agora, a modos que sou esta pessoa de janeiro que devia ter nascido em junho mas que ainda assim teve a sorte de que o feito quase se desse por terras algarvias. Venha por isso o sol a queimar-me a pele, as conchas ao pescoço, o cabelo feito sal, o pé descalço e as noites quentes. Venham as sardinhas e o gaspacho, os amigos tardios, a música na rua e o tinto de verano.
Venha tudo isto, que para o resto e para o janeiro, há-de sempre haver tempo que sobre…

Bom primeiro fim de semana de verão, pessoas tão bonitas ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.