Há dois anos a ser feliz por aqui…

Foi há dois anos, com o calor, a maresia e um louva-a-deus (nunca antes visto) a testemunhar o salto, que arrisquei um lugar desconhecido, que tanto me trouxe a conhecer.

Foi há dois anos que publiquei o primeiro dos 150 textos que escrevi. Um texto que falava em coragem, em vulnerabilidade, na zona de não conforto que precisava tanto de conhecer.

E foi essa sede e essa vontade, empurrada por uma coragem de que me orgulho muito, que me fez chegar aqui. A um projeto meu, à insaciedade de continuar, às pessoas tão especiais, aos retornos que me empurram para a frente, à aprendizagem e sempre, sempre, ao compromisso de me manter fiel a quem sou e ao que me move.

E mesmo que procure não perdê-lo de vista, houve momentos, sobretudo neste segundo ano de vida, em que me perdi e duvidei da importância do caminho, voltando à ideia fácil de que para se ser merecedor, é preciso ser-se reconhecido. E alimentei-me dos “gostos” nas redes sociais e corri atrás dos outros e andei na corda bamba, a dar mais do que me era possível e a sentir o peso daquilo que mais queria.

Valeram-me as palavras de quem não conhecia, a gratidão dos outros, a confiança dos convites profissionais, as pessoas bonitas com quem me cruzei… Valeram-me os meus, que me ajudaram a vir ao centro outra vez, a desligar o computador quando era preciso fazê-lo e a não perder o rumo e o propósito de estar aqui.

São dois anos de Lua e aquilo que trago dentro é tanto e tão mais em equilíbrio, que eu celebro a conquista e respiro fundo por sentir que agora, aqui, “o tempo apaixonadamente, encontra a própria liberdade” *. E continua a fazer-me feliz.

É este o lugar.

* As palavras mais bonitas deste texto não são minhas, são da Sophia, neste poema. Achei que a ocasião merecia.

12
Deixe um comentário

avatar
6 Comment threads
6 Thread replies
6 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
AlexandraAnaYara SilvaRita GuapoFernanda Branco Recent comment authors

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Edite azevedo
Visitante
Edite azevedo

Mais um belo texto. O tempo e as palavras cada vez mais em sintonia. É com enorme prazer que te leio.
Obrigada.

Pedro V
Visitante
Pedro V

Parabéns por estes dois anos de reflexões, ideias, concelhos e principalmente a partilha de parte de si!
Que continuemos com os pés bem assentes na lua, ou pelo menos com a vontade incessante de os ter por lá .
Cumprimentos
Pedro V.

Fernanda Branco
Visitante
Fernanda Branco

RITA querida, em boa hora criaste coragem para partilhar connosco tanto daquilo que és, que sabes e que sentes.
É muito bom beber cada uma das tuas palavras, sempre sábias de pragmatismo e sensibilidade, que tu tão bem sabes alinhar e que bos ajud a pensar mais meelhor . Obrigada por estes 2 anos e desejo que se retotam muitos mais. Beijinhos e felicidades

Yara Silva
Visitante
Yara Silva

Olá Rita, parabéns por esse caminho tão “bonitamente” partilhado. A Lua cresce, mingua, às vezes não se vê mas está sempre lá. E quando ela lá está redonda e brilhante o nosso coração enche-se de alegrias e orgulho. Parabéns pela tua linda Lua com os pés bem assentes na terra. Bjs Yara

Ana
Visitante
Ana

E um gosto ler te

Alexandra
Visitante
Alexandra

Parabéns Rita

Gosto muito de ler os seus textos, tendo eu também uma criança pequena, consigo identificar-me com muitos deles. Desejo a continuação de mais Pés na Lua. Bjs